Contos de Vancouver

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Contos de Vancouver

Mensagem por Admin em Dom Out 04, 2015 6:49 pm

Tópico destinado as histórias contadas pelos Galliards de Vancouver, tópico aberto para qualquer Galliard postar suas histórias sobre a cidade, caern e seus companheiros.

avatar
Admin
Admin

Mensagens : 37
Data de inscrição : 01/10/2015

Ver perfil do usuário http://furyinvancouver.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Contos de Vancouver

Mensagem por Admin em Dom Out 04, 2015 7:19 pm

"Os irmãos Ursos "(Lendas dos Garous sobre o Caern da Cura Ancestral)

Há muito tempo atrás, antes do povo branco chegar a essas terras, cinco primos do

povo urso-metamorfo encontraram uma caverna para hibernar durante o inverno.

Enquanto dormiam receberam de seu patrono um Presságio sobre a chegada do povo

além-mar.

Aquele definitivamente foi o pior inverno que tiveram. Viram seus irmãos de pele

vermelha serem massacrados um a um, enquanto outros eram tomados por terríveis

doenças. Suas aldeias foram tomadas pelo fogo, suas mulheres presas, escravizadas,

estupradas e mortas. Foi terrível.

Pata-Quebrada foi o primeiro a acordar e logo tratou de chamar seus irmãos que ainda

dormiam. Conversaram por dias buscando uma solução para este problema. Então,

reunindo a experiência que tinham, criaram a um lugar sagrado que hoje é a Seita Da

Cura Ancestral.

Este lugar serviria como uma espécie de refúgio sagrado para todos os guerreiros que

desejassem cura durante a guerra vindoura.

Porém, somente isso não bastaria, Pata-Quebrada sabia que somente o povo nativo

agindo em unidade mútua poderia expulsar de uma vez por todas este mal.

Os cinco irmãos então partiram, deixando o patrono, o grande espírito urso tomando

conta do lugar. Ele escondeu usando seu poder aquele refúgio sagrado por dez anos

até que os irmãos retornaram como combinado.

O primeiro falou sobre a arrogância do povo felino, eles não quiseram ouvir e acharam

que um Presságio a este nível era algum tipo de piada. Conta que outra tribo do povo

puma feriram-no quase até a morte, o que de fato era visto em seu couro.

O segundo irmão foi até o povo lobo do norte, mas eles eram tão selvagens que

também escapou da morte por pouco. Na região central encontrou um povo lobo mais

aberto a conversa, eles se chamavam croatan, ouviram com atenção e disseram que no

momento certo iriam procurar o refúgio sagrado e que convenceria a seus dois irmãos

a agirem em unidade. Disse que era pra perdoar a falta de paciência do povo do norte,

e que eles também ajudariam no momento certo. Os croatan eram sábios e sabiam

como domar a fúria do irmão mais novo.

O terceiro irmão urso disse que foi em busca do povo Coiote e todos, sem excessão,

escarneceram de sua visão, fazendo pouco caso do que foi dito.

O quarto foi até o povo do céu, os homens Corvos. Poucos foram os encontrados, mas

os que foram, disse que iriam ter atenção no mar conforme instruído e teriam o papel

de alertar a todos os habitantes desta terra quando avistassem o primeiro sinal dos

demônios que viriam do mar.

O quinto irmão urso não retornou com vida, foi morto pelos répteis, porém deixou

avisado sobre o que aconteceria.

...

Eles vieram...

Em grande quantidade...

...

Durante anos este foi o asilo de todo povo metamorfo que buscava pelas curas de suas

doenças, pelas curas das feridas em batalhas e por visões de um futuro agora negro.

O povo urso poderia virar as costas para todos neste instante, afinal ele estava certo o

tempo todo e muitos lhes deram as costas, mas não era do feitio deles fazer isso.

Eles queriam de fato ajudar, esta era a terra deles, tanto quanto nossa e mesmo

sabendo do fim que levaria o atraso na ação, mantiveram-se firmes.

Batalhas épicas foram travadas e se não fosse pelo povo urso, todos seriam pegos de

surpresa.

Porém a Serpente de chifres se levantou com grande furor sobre este lugar e armou

uma forte investida...

Os irmãos ursos lutaram bravamente, enquanto garous e pumas, agora arrependidos,

se uniram para proteger o local mais sagrado que esta terra já viu.

Porém os guerreiros do povo branco, assim como os nossos eram fortes e hábeis em

batalha, além da desvantagem numérica de cinco soldados para um. Foi um massacre!

Sequer notaram o valor destas terras.

A tribo dos presas de prata, Fianna e dos crias de fenris simplesmente passaram por

cima de tudo, ignorando a força espiritual, importância e paz que este lugar trazia.
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 37
Data de inscrição : 01/10/2015

Ver perfil do usuário http://furyinvancouver.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Contos de Vancouver

Mensagem por Admin em Dom Out 04, 2015 7:21 pm

O grande despertar (1960- Canadá)

Jeremy era um destemido Garou dos presas de prata da cabana da lua e do campo dos

sacerdócios de marfim, campo conhecido por sua vasta simpatia para com estudos,

principalmente no que diz respeito a estudo dos mortos.

Nossa matilha não ficava para trás. Éramos uma potência no que diz respeito a

assuntos espirituais.

Fazendo parte dela tinha um theurge Uktena, seu nome era Dallas; Um filodox

peregrino silencioso e lupino, seu nome era Mortis. Ambos eram versados em rituais e

cultura morta, e eu, um filho de Gaia ahroun do campo do ataque eminente.

Os garous viajavam pela trilha de lua e guiados pelo espírito brincalhão servo da dama

da face prateada, foram levados a uma caverna escura e úmida no "Pacific Spirit

Regional Park".

O luno em forma de orbe brilhante, logo ilumina o lugar.

Seria uma caverna normal se não fosse por uma pilha de ossos ainda bem

conservados naquele lugar. Pelo menos ali era visto cerca de 50 ossos de diversos tipos

e tamanhos, desde humanos, até metamorfos diversos.

Intrigado Jeremy pergunta:

_O que significa isso Luno?

O luno sorrindo diz entre gargalhadas:

_Você, RS RS RS... Você fez isso tudo!

Jeremy encucado diz:

_Eu ainda não entendo? Esses ossos estão aqui a centenas de anos, como pode eu ter

feito isso?

Naquele exato momento uma visão acometeu a todos que estavam no lugar.

Eu, ainda era um filhote na época, mas Jeremy, Mortis e Dallas, o Uktena, eram adrens

experientes.

Tamanha foi minha surpresa quando Jeremy cai de joelhos chorando, eu nunca vi ejé

chorar antes, ejé era sempre frio com tudo.

Nós vimos ele liderar o ataque mais devastador destas terras, sobre os mais diversos

metamorfos locais, todos eles nativos.

Dallas toca o ombro do Garou e diz:

_Calma meu amigo. Este não era você... Foi seu ancestral Insano, mas tem alguém que

você pode conversar para reverter este quadro.

Neste momento Dallas aponta para um canto parcamente iluminado. Se via uma

imensa rocha, uma rocha colossal na verdade.

_Por gentileza luno, ilumine  aquele ponto por favor!-dizia o nativo-

Cumprindo o desejo do theurge,  notaram uma imensa rocha, como qualquer outra.

_Observem!

Após cerca de cinco minutos e olhares atentos, os garous notaram uma respiração

fraca, quase parando.

_O urso ainda vive neste lugar, porém, ele está hibernando. Vê Jeremy, ainda há

esperança!

O Garou dos presas de prata saca uma adaga espiritual de sua cintura. E começa

recitar uma espécie de língua morta, que eu sinceramente não começo nada sobre o

que era.

Dallas parece que sabia o que ele fazia e o peregrino se afastou também com uma

feição aflita.

Eu estava perdido, era ainda um filhote. Mas após cerca de quinze minutos entre um

mantra e línguas estranhas Jeremy levantou o punhal na direção de seu peito. Lembro

do seu olhar de despedida, para todos os membros da matilha.

Eu que até então estava estático observando, tentei evitar o pior, mas fui detido por

Dallas.

Em um golpe certeiro no próprio peito, o Garou dos presas de prata, meu líder e amigo

Jeremy se suicidou.

Olhava incrédulo aquela cena, enquanto o sangue de Jeremy jorrava por toda a

caverna banhando aqueles ossos secos e quando dava seus últimos suspiros

descompassados, o grande urso acordou chacoalhando a poeira de anos ou melhor,

centenas de anos de seu corpo.

Seu corpo brilhava superando a luz do luno, e toda a caverna ganhou vida.

Musgos e plantas tomaram o lugar por completo e todo lugar foi tomado por uma

poderosa energia da wyld.

Espíritos saíram aos montes daquele lugar, cada um seguindo um rumo diferente.

Aquela foi uma noite de libertação e perdão.

Por fim o espírito do próprio Jeremy descolou de seu corpo e foi o último a sair dali,

caminhando orgulhoso para fora da caverna pelo seu sacrifício feito.

Exatamente neste instante o urso rugiu alto, tão alto que fez as estruturas da caverna

tremerem.

Em um piscar de olhos o espírito urso  se pôs entre ele e a saída, e deu um segundo

urro fazendo o espírito de Jeremy recuar... O terceiro urro fez ele recuar mais ainda... e

assim se repetiu até o quinto rugido ser emitido. Os cinco rugidos simbolizaram os

cinco irmãos Ursos.

O urso então fala em língua sublime:

_Seu sacrifício limpou sua honra para com os antigos habitantes daqui, mas ainda não

foi suficiente para mim!

O urso fica sobre as duas patas traseiras e se lança derrubando o espírito de Jeremy

em cima do próprio corpo.

Eu não poderia suportar tamanho desrespeito, Jeremy merecia um descanso agora.

Estava prestes a atacar o urso neste momento, na verdade até ensaiei alguns passos

vacilantes em sua direção, mas fui detido apenas com um olhar do urso que mostrava

suas presas neste momento.

Quando ele  sai de cima de Jeremy, o presas estava abrindo seus olhos novamente e

sua ferida cicatrizada.

A cicatriz, a cicatriz... Ela tinha um significado e era a cura do passado.

Deste dia em diante, Jeremy ficou conhecido como: "JEREMY, MARCADO PELA HONRA "


_____________________________________

Conto escrito pelo Jogador: Luiz Gonzaga, sobre o Caern.
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 37
Data de inscrição : 01/10/2015

Ver perfil do usuário http://furyinvancouver.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Contos de Vancouver

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum